IDB do Brasil alcança marca de R$ 1 bilhão em volume de negócios em importação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O processo acelerado de retomada de boa parte da economia ao longo deste ano motivou um aumento expressivo no volume de importações no Brasil. Em Santa Catarina, considerado um dos estados mais bem providos de estrutura logística do país, o impacto vem com mais força, como expressado nos mais de R$ 1 bilhão em transações comerciais mediadas pela IDB do Brasil, índice inédito nos 15 anos de história da trading. A meta foi alcançada no início de outubro.

Segundo dados do Ministério da Economia, o volume de importações totais do Brasil cresceu 37,7% de janeiro a outubro, em comparação com o mesmo intervalo de tempo de 2020, atingindo US$ 172,26 bilhões. Somente em setembro, mês de maior movimentação de cargas importadas até o momento em 2021, o somatório foi de US$ 19,961 bilhões, expansão equivalente a 51,9% ante o mesmo mês do ano anterior.

O crescimento das operações de compra de produtos, equipamentos e matérias-primas do exterior vem sendo bem mais acelerado do que as exportações brasileiras. O CEO da IDB do Brasil, Erick Marques Isoppo, explica que esse movimento se dá sobretudo pelas demandas da indústria nacional. “Nosso país é um grande exportador de commodities (itens primários, como grãos e outros produtos agrícolas, minérios, matérias-primas e produtos produzidos em massa), mas depende de outros mercados para abastecimento interno, principalmente produtos acabados. Em determinados segmentos há materiais que não existem aqui e precisam ser buscados fora”, esclarece. 

A chegada dos importados ocorre em maior escala pela via marítima, mas também por aeroportos e rodovias. Em todos os modais a infraestrutura catarinense se sobressai na comparação com outras regiões, com o atrativo extra das políticas estaduais de comércio exterior, com o fornecimento de benefícios fiscais para quem importa pelo estado, expõe Isoppo. “Metade dos nossos 150 clientes são do Sudeste e, mesmo com o custo de frete, acaba sendo mais vantajoso econômica e logisticamente fazer o processo de importação por Santa Catarina”, afirma.

Quase todas as operações de importação mediadas pela IDB do Brasil, especialista nesses serviços, ocorrem por Santa Catarina, acrescenta a gerente comercial da empresa, Chaiana Jacques. “O nível de excelência e organização, sobretudo dos portos, e o amadurecimento do mercado de comércio exterior no estado dão segurança aos clientes sobre a fluidez nos processos. Isso somada à inteligência financeira no planejamento de todo o processo representam um ganho competitivo para essas empresas que fazem importações. No mercado de hoje a eficiência nas compras tem tanta importância quanto à das vendas”, argumenta.

A chegada à casa do bilhão em negócios de importação mediados em menos de 10 meses já se configura como um feito histórico para a IDB do Brasil. A empresa recentemente instalada em uma sede nova dobrou o número de colaboradores nos últimos 15 meses. Entre os itens trazidos do exterior com maior participação nesses números estão o alumínio, compostos para indústrias químicas, cerâmicas e de fabricantes de plásticos e resinas.

“O nosso serviço consiste no acompanhamento das operações de ponta a ponta, dando segurança ao fornecedor do exterior e o comprador brasileiro, oferecendo ainda um estudo amplo junto aos clientes verificando as necessidades de importação e o que fazer depois de importar”, pontua o CEO da IDB do Brasil, Erick Isoppo.

Categorias

 

Recentes